Fibra previne a obesidade e diabetes através da produção de glicose no intestino

Ela ajuda a reduzir os níveis de colesterol e mantém a saúde gastrointestinal

 

fibras2Uma pesquisa publicada na revista americana Cell, em janeiro de 2014, mostrou que as dietas ricas em fibra reduzem significativamente o risco de diabetes e obesidade em seres humanos e outros animais.

De acordo com uma revisão da pesquisa publicada em 2011, no Jornal Internacional de Segurança Alimentar, Nutrição e Saúde Pública, a adoção de uma dieta rica em carboidratos levou à redução de fibras no cardápio em todo o mundo, o que ocasionou ou acentuou problemas de saúde como a obesidade, diabete e doenças cardiovasculares.

A fibra auxilia a reduzir os níveis de colesterol, aumenta a disponibilidade de cálcio, a função imunológica, mantém a saúde gastrointestinal e ajuda a regular os níveis de açúcar no sangue. Ela pode ser encontrada de forma solúvel ou insolúvel.

Assim como o fígado e outros órgãos, o intestino é capaz de quebrar a energia armazenada em glicose, tornando-a disponível para o organismo entre as refeições ou à noite. Quando o intestino produz glicose, o açúcar é detectado pelos nervos das paredes da veia portal – responsável por recolher o sangue que sai do intestino. Estes nervos, então, enviam um sinal para o cérebro, que emitem sinais para o corpo, a fim de reduzir o risco da obesidade e diabetes, como a redução da fome e a diminuição da produção de glicose pelo fígado.

Os estudos

A fim de examinar a relação entre fibras solúveis e glicose intestinal, os pesquisadores alimentaram ratos com dieta rica em fibras solúveis, responsáveis por promover benefícios metabólicos no controle do peso corporal e da glicose. Os pesquisadores descobriram que, nestes roedores, os genes e enzimas responsáveis ​​pela síntese de glicose intestinal tornaram-se significativamente mais ativos. Eles descobriram também que o propionato foi usado diretamente pelo intestino como parte do processo de produção de glicose.

Além disso, os roedores que receberam um alto teor de fibras, açúcar e dieta rica em gordura tornaram-se menos obesos e menos resistentes à insulina do que os roedores alimentados com uma alta dose de açúcar, gordura e baixo teor de fibras.

Deixe uma resposta